domingo, 14 de dezembro de 2014

Aposentando um baralho: a delicada experiência de Lya Cordoba.


Olá pessoal. Hoje fui surpreendido por imagens que deixaram meu coração com uma sensação de paz. Há dezenove anos, a Lya Córdoba - que esteve conosco por aqui falando sobre o Cavaleiro de Copas - trabalha com o Tarô dos Anjos, da Monica Buonfiglio. Esse é um baralho pelo qual tenho grande carinho, já que foi meu segundo, um presente da minha tia avó. Me acompanha há muito tempo também, e de vez em quando é com ele que eu converso. É um amigo querido, suave, delicado. A abordagem da Monica Buonfiglio, o jogo proposto, a experiência que tive com esse baralho... Lindas lembranças. 


Mas a ideia que a Lya teve foi tão bacana, tão sublime, que eu tive que compartilhar por aqui. Ao "aposentá-lo" - aposenta-se o material, mas como aposentar a experiência? - ela fez um quadro com as cartas. Um quadro lindo. 
E eu vi, na prática, algo que venho falando por aqui desde o começo do Conversas Cartomânticas: Gaste o seu baralho. Faça dele seu companheiro, não importa o tamanho da sua coleção. Ter um baralho que se confia, que se utiliza sempre, imprime no papel mais do que tinta. Imprime no papel a emoção do uso. Deixa de ser papel impresso e passa a ser o registro de experiências. Um silencioso diário que, ao ser tocado por mãos sensíveis, traz consigo toda a melodia do verbo expresso com suas páginas.
Nesse caso, quarenta e duas.

Obrigado pela experiência compartilhada, Lya. Você fez meu dia mais feliz.

E você leitor, tem fotos dos seus baralhos gastos pelo uso? Compartilha cá com a gente! Deixe-nos ver como sua história se imprimiu no seu baralho! Caso deseje, envie sua imagem com a sua história para emanueljsantos7@hotmail.com ou compartilhe na nossa página no Facebook.

quarta-feira, 10 de dezembro de 2014

Puta!



[I de II]


- Puta! Gritavam em silêncio os transeuntes ao verem-na passar, altiva por fora, destruída e escondida num canto qualquer dali de dentro.
Vadia, vagabunda, puta. Meretriz, rameira, dos ramos do Porto. Vestia vermelho, disfarce e mimetismo de boca e olhos, ora por drogas, ora por chorar por uma droga de vida. Ora sangue, ora sangre. Saliva e lágrima.


[Interlúdio]

Céu plúmbeo, ordenhado em seus relâmpagos por ventos impiedosos. Seria bom banhar-se de água leitosa, disfarce perfeito para mais um soluço. Ou vários. 

Ela via a Lua.




domingo, 7 de dezembro de 2014

PROMOÇÃO COPAG / Conversas Cartomânticas: Concorra a um Tarô Universal de Salvador Dalí.


Olá pessoal. A caminho do fim desse ano e já iniciando os preparativos para o Ano VI de Conversas Cartomânticas - que será um ano brilhante, me aguardem - teremos o sorteio deste ano, em parceria com a COPAG do Brasil: um dos baralhos mais cobiçados e mais lindos entre os contemporâneos, idealizado por Salvador Dalí para que sua esposa, Gala, pudesse ler em seus saraus [fonte]. O Tarô Universal de Salvador Dalí.


Pinturas se unem a colagens em uma abordagem identitária e singular. Tudo isso imerso em dourado. As imagens notadamente seguem o estilo proposto pelo Waite-Smith, mas as atribuições astrológicas estão em consonância com uma outra escola. Uma lógica pertencente apenas a esse baralho se delineia e se mostra aplicável. Um desafio dos mais prazerosos.


E você, leitor, tem a oportunidade de ter um desses para chamar de seu! Seguindo o modelo dos anos anteriores, para participar existem algumas regrinhas:

1. Curtir a página da COPAG e do Conversas Cartomânticas no Facebook, assim como ser seguidor do blog.
2. Deixar um comentário aqui nessa postagem, dizendo o que mais lhe atrai nesse baralho [na dúvida, dê uma olhada em todas as cartas], com seu nome completo e e-mail de contato.
3. Ter um endereço de entrega aqui no Brasil.

O sorteio será realizado no dia 21 de dezembro, pelo random.org.

Boa sorte a todos!